Dicas para sair do vermelho com um bom planejamento pessoal

publicidade

Muitas pessoas não sabem como fazer e cumprir um planejamento pessoal, esse segundo ponto é o mais importante. Isso porque você pode fazer o plano que for, de nada adianta se ele ficar no papel. 

Existem muitas dicas para dar no momento de elaborar um planejamento pessoal. Contudo, é importante se focar nas principais, que entre outras são entender sua realidade financeira, evitar gastos emocionais e separar valores para cada área. 

Você que está no vermelho precisa entender alguns pontos cruciais para sair dessa situação e agora você chegou ao lugar certo. Conheças as 5 principais dicas para se livrar das contas.

publicidade

5 dicas para sair do vermelho com planejamento pessoal

  • Entenda a sua realidade financeira com planejamento pessoal

Afinal , como entender minha realidade financeira? Fonte: Pexels.
Afinal , como entender minha realidade financeira? Fonte: Pexels.

É claro que você pode até acreditar que não, mas provavelmente você ainda não parou para entender qual é a sua realidade financeira. 

Antes de qualquer coisa, esse é um passo importantíssimo porque você  precisa  entender o que pode gastar e o que está gastando. Do contrário, não tem como executar um bom planejamento financeiro.

Entenda também como você se comporta frente aos hábitos do dia a dia, se costuma gastar mais, ou poupar mais. O que é mais constante na sua vida?

publicidade

Para criar uma noção de realidade financeira, responda às seguintes perguntas:

  • Quanto eu ganho por mês?
  • Quanto eu gasto por mês?
  • Tenho dívidas? Quanto custam essas dívidas?
  • Você tem investimentos?
  • Qual gasto você acha totalmente desnecessário?

Tendo isso em mente, agora será mais simples tomar os próximos passos para sair do vermelho com um bom planejamento financeiro.

  • Para um bom planejamento pessoal, divida seus gastos por categorias

Para um bom planejamento pessoal divida seus gastos em categorias. Fonte: Pexels.
Para um bom planejamento pessoal divida seus gastos em categorias. Fonte: Pexels.

É importante que você sempre tome nota dos seus gastos mensais, pois a partir disso é possível saber quanto vai para cada categoria. 

Sendo assim, você vai adaptar um percentual que considera adequado para gastar em cada uma das diversas áreas da sua vida. Vale lembrar que nessa divisão você deve levar em conta uma análise quantitativa e qualitativa. 

Por exemplo: investir em educação exige mais qualidade, ao contrário de outras áreas como vestuário, no qual a quantidade costuma falar mais alto.

Ao dividir esses gastos de forma racional você pode ter certeza que está investindo nada mais nada menos que o suficiente em determinada área. 

Entenda como funciona uma divisão por categoria:

  • 20% para quitação de dívidas;
  • 20% para gastos essenciais;
  • 60% para gastos não essenciais

Perceba que a proporção entre gastos essenciais e não essenciais está muito desinteressante. Isso porque não há necessidade de grandes gastos não essenciais. 

Seria mais adequada essa estratégia:

  • 20% para quitação de dívidas;
  • 30% para gastos essenciais;
  • 35% para gastos não essenciais
  • 15% investimentos em uma reserva de emergência

Dessa forma além de você balancear os gastos e assim pode quitar suas dívidas de forma consistente.

  • Evite os gastos emocionais

Essa pode ser a mais importante das dicas, a medida que também é um ponto no qual as pessoas costumam falhar mais. 

No entanto, no momento em que você divide os gastos da maneira correta, como fizemos acima, tudo fica mais fácil de administrar. Assim, provavelmente seus gastos serão menores.

Destacamos o “provavelmente” porque de toda forma, sabemos como é difícil seguir a cabeça quando o seu estômago está pedindo uma boa pizza. 

Por isso é bastante importante ter em mente os gastos que serão nocivos para você e assim evitar essas aquisições.

Então quando a vontade bater, pense se isso é realmente necessário ou é apenas uma vontade, que bate e logo após passa. 

Deixamos claro que falando isso não estamos nos referindo à privações, mas sim de uma forma de controlar os gastos extras. 

  • Corte gastos quando for necessário

Poupar dinheiro envolve ter em mente um objetivo muito simples e básico: gastar menos do que ganha, é simplesmente isso. Pode até parecer muito simples mas muitos não conseguem pôr isso em prática no planejamento pessoal. 

Para isso é necessário que você corte os gastos supérfluos e seja cada vez mais disciplinado à sua divisão de gastos. Dessa forma, pode ter certeza que vai sobrar algo no fim do mês e você poderá reduzir as dívidas cada vez mais.

  • Comece a investir o seu dinheiro 

Essa dica é voltada muito mais para a fase posterior à quitação das suas dívidas. Então, após colocar todos os passos acima em prática e quitar suas dívidas, comece a pesquisar mais sobre investimentos. 

Criar o hábito de investir com certeza é uma das maneiras mais eficientes e divertidas de continuar com um bom planejamento pessoal. Além disso, o seu dinheiro vai trabalhar para você e com paciência seu pequeno investimento pode se tornar um grande lucro.